Pesquisa de Opinião

Você pode participar do ciclo da coleta seletiva por meio da separação dos resíduos em sua casa, escola ou trabalho; encaminhamento dos materiais para a forma de coleta mais adequada ao seu cotidiano; e ainda, conhecendo o processo e divulgando para seus amigos e vizinhos fazerem o mesmo.

Primeiramente é preciso entender o ciclo da coleta seletiva em Goiânia, isso envolve 3 etapas apresentadas na Figura 1:

Figura 1 - Ciclo da Coleta Seletiva em Goiânia
[/vc_row]

A etapa de educação ambiental é uma das mais importantes do processo e envolve tanto as ações do pré-consumo quanto do consumo consciente, com aplicação prática dos 5 R´s (1º R – Repensar, 2º R – Recusar, 3º R – Reduzir, 4º R – Reutilizar e 5º R – Reciclar) e de técnicas resíduo zero.

É nesta etapa que a população é incentivada a mudar positivamente seus hábitos, estimulando as indústrias, o comércio e prestadores a produzir e comercializar produtos e serviços sustentáveis. Dessa forma, contribuímos para promover a economia circular em nosso município.

Os trabalhos de educação ambiental envolve importantes tópicos como:

A separação dos resíduos sólidos domiciliares na fonte geradora deve ser feita em 3 tipos:

Recicláveis

Papel, papelão, plástico, metal e vidro

Veja a lista completa e saiba O Que Separar

Orgânicos

Devem ser separados e encaminhados para a compostagem em sua casa ou condomínio:

  • Restos de comida;
  • Restos de preparação de alimentos (cascas, sementes e talos);
  • Borra de café;
  • Podas de jardim;

Veja lista completa no Passo 2 do site http://residenciaresiduozero.com.br/

Aqueles domicílios ainda em processo de implantação da compostagem poderão temporariamente encaminhar esses resíduos junto com a fração dos rejeitos e serem acondicionados em sacos e contêineres da cor cinza.

Rejeitos

São considerados rejeitos:

  • Rejeitos sanitários (papel higiênico, fil dental, absorventes, preservativos, fraldas descartáveis, etc);
  • Fitas adesivas;
  • Papel carbono;
  • Toco de cigarro;

Veja a lista completa e saiba O Que NÃO Separar

Fonte: IFSC (2014).

Disponível em: https://linkdigital.ifsc.edu.br/2014/10/03/codir-aprova-projeto-de-padronizacao-de-residuarios/#!prettyPhoto. Acesso em 27 abr. 2018.

SEPARAÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DE GOIÂNIA EM TRÊS TIPOS

*resíduos sólidos domiciliares (RSD) são aqueles originários em atividades domésticas compostos por materiais recicláveis (embalagens e materiais derivados de papel, plástico, metal e vidro), resíduos orgânicos (restos de alimentos, cascas, talos, sementes, óleo de fritura usado, etc) e rejeitos (sanitários, absorventes, preservativos, fitas adesivas, papel engordurado e com cola, emborrachados, trapos não aproveitáveis, etc). São considerados ainda RSD, aqueles gerados em outros locais como comércio, prestadores de serviços, indústrias, os quais possuem características similares àqueles das residências, que não apresentam periculosidade. Resíduos resultantes de construção civil, de serviços de saúde, de eletroeletrônicos, de embalagens de agrotóxicos, e outros, ainda que porventura venham a ser gerados em uma residências, não são considerados domiciliares e portanto deve seguir classificação e destinação final ambientalmente adequadas e específicas para cada tipo descrito no Art. 13 da Lei 12.305/2010.

“Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”
– Antoine Lavoisier.

Seja esse agente de transformação!

A Etapa 2 compreende o encaminhamento dos materiais separados pela população e pelos grandes geradores até o mercado da reciclagem por meio das modalidades de coleta seletiva.

Coleta Seletiva de Recicláveis – Modalidades

Caminhão da coleta seletiva porta-a-porta
Cooperativas de Catadores de Materiais Recicláveis
Catador de recicláveis de seu bairro

Caso você tenha dificuldade de participar da coleta seletiva nas modalidades acima, você pode ainda doar seus materiais recicláveis, separados, limpos e secos para catadores de recicláveis de seu bairro, desde que este material não seja enviado para o aterro, lotes baldios ou logradouros públicos.

Coleta de Rejeitos

A cadeia da reciclagem em Goiânia é por formada por catadores, cooperativas de catadores, empresas e indústrias de reciclagem.

Cooperativas de Catadores de Materiais Recicláveis

As cooperativas de catadores de materiais recicláveis realizam os seguintes trabalhos:

  • Educação ambiental: conscientização de sua vizinhança, de escolas, grandes geradores, ministração de palestras, feiras e exposições, campanhas educativas;
  • Coleta e Transporte: as cooperativas também possuem caminhões e coletam sob o sistema de agendamento os materiais recicláveis separados em condomínios, empresas, shopping centers, escolas, universidades, etc. Veja aqui o contato das cooperativas e faça uma parceria para a coleta regular de seus recicláveis.
  • Triagem: separação dos recicláveis em matéria-prima para a comercialização, reciclagem, reuso, artesanato e outras formas de destinação; e
  • Processamento: prensagem, enfardamento, picotagem, moagem, e outras formas de preparação dos materiais recicláveis para a cadeia da reciclagem.

As cooperativas possuem parceria e por meio do Termo de Compromisso com a Prefeitura de Goiânia, estão aptas a estabelecer parcerias com os grandes geradores de Goiânia. Veja aqui o Termo de Compromisso.

 Empresas de Reciclagem

            Na Região Metropolitana de Goiânia e no estado de Goiás possuem empresas que compram, processam, reciclam ou encaminham para indústria de reciclagem em outros estados, os materiais recicláveis e recuperáveis.